Blog

18/08/2016
|

Viver em mim

Nunca fui um buscador, pois não há o que buscar

Sou espaço…

Não preciso nem dar passos

Mas mesmo assim, os quero dar

 

Como posso te perder? Se eu, sou você?

Todo apego é redundância, brincadeira de criança

Mas eu gosto de brincar

 

Já posso perceber que o morrer e o nascer são ocasiões no infinito

Mas mesmo eu não tendo fim,

Quero eu viver em mim,

Pois gosto de quem habito.