Blog

31/08/2016
|

Automático seguro

Viver “no automático” é seguro

Deveria ser sagrado

Porque dar-se conta da vida

É doloroso,  é complicado

Pode até ser perigoso se tu vais pro lado errado

 

Mas ali, nas labaredas que derretem as verdades

Também vivem belas luzes que falam de eternidades

E pois, se não há matéria, como Einstein avisou

Desdiz quem me garantiu que de carne e osso eu sou

 

Qual das duas insanidades devo eu elogiar?

Construo com pressa uma ponte pra entre elas passear

A mentira de verdade. A verdade imensurável.

Vivo eu no caminhar, a pendular no inexplicável